Garciano


Ai caramba, olha eu de volta a esse blog esquecido e empoeirado! E creio que desta forma deva ficar ja que sou muito indisciplinado. E também porque tenho me dedicado mais em fazer músicas do que textos. Só não resisto em escrever quando algum tema me agarra pelas pernas e não me deixa fugir. O fim de ano, periodo de festas, coisa linda... comércio iluminado em Garça, prefeitura idem, casas também... enfim todos armaram suas arvores de natal e as enfeitaram com aqueles "pisca-piscas" vindos diretamente do Parágua... enfeitiçado por tanta beleza, tantas luzes, uma pergunta na minha cabeça surgiu e não se apagava (que trocadilho infame! mas vamos lá). Todo dia durante a semana eu acordo uma hora mais cedo por conta do horario de verão, que tem como objetivo a redução do consumo de energia no nosso país. Se a questão é economizar porque tantos enfeites movidos (vixi!) a energia elétrica ora bolas? Me fazem levantar mais cedo pro Papai Noel dormir mais tarde? Faz sentido?

Escrito por Vicente Aranha Conessa às 15h04
[ ] [ envie esta mensagem ]


<object width="296" height="309">
<param name="allowScriptAccess" value="sameDomain" />
<param name="movie" value="http://bandasdegaragem.uol.com.br/radio/v2/pocketswf.php?id=8243" />
<param name="wmode" value="transparent" />
<embed src="http://bandasdegaragem.uol.com.br/radio/v2/pocketswf.php?id=8243" type="application/x-shockwave-flash" wmode="transparent" width="296" height="309"></embed>
</object>

Escrito por Vicente Aranha Conessa às 08h52
[ ] [ envie esta mensagem ]


Nem veja. Nem leia

Se você quiser saber tudo sobre o governo FHC, não leia o livro de auto-ajuda “A arte da política”, assinado pelo ex-presidente. Não leia, porque ali nada se explica sobre as privatizações, conluio com a grande mídia, a explosão da dívida pública e aprovação da emenda da reeleição.

Se você quiser saber como FHC foi fabricado como candidato para o Plano Real e não o Plano para o candidato;

Se você quiser saber como a inflação foi transformada na multiplicação da dívida pública em 11 vezes, pelo candidato que dizia que “o Estado gasta muito, o Estado gasta mal”, mas entregou o Estado falido a seu sucessor;

Se você quiser saber como o presidente dos EUA mandou seu assessor para apoiar a candidatura de FHC e ganhou, de quebra, o Sivam, para uma empresa financiadora de sua campanha;

Se você quiser saber como parlamentares foram comprados para que a Constituição fosse reformada e a emenda da reeleição, reformada;

Se você quiser saber como o conluio entre a grade mídia privada e o governo de FHC impediu que houvesse CPI da compra de votos;

Se você quiser saber como o país foi quebrado três vezes durante o governo de FHC, ao seguir rigorosamente as normas do FMI;

Se você quiser saber quanto e como se multiplicaram fortunas com a privatização das empresas públicas – o maior negócio de corrupção da história do Brasil;

Se você quiser saber quanto e como se multiplicaram fortunas com a brutal desvalorização da moeda em janeiro de 1999;

Se você quiser saber como e por que fracassou o governo de FHC, derrotado estrepitosamente nas eleições para sua sucessão;

Se você quiser saber estas e outras verdades fundamentais para entender o Brasil contemporâneo e por que o ex-presidente FHC é o mais rejeitado de todos os nomes aventados como candidatos à presidência da República;

Se você quiser saber por que seus correligionários disseram a FHC que calasse a boca, porque suas intervenções desastrosas ajudavam a recuperação eleitoral de Lula;

Se você quiser saber por que FHC não conseguiu nenhum cargo internacional – como era seu sonho – e tem que se contentar com o luxuoso escritório no Vale do Anhangabaú, montado por grandes empresários paulistas, em agradecimento pelo que lucraram durante seu governo;

Se você quiser saber por que FHC se tornou tão rancoroso diante do sucesso de Lula e de sua política externa;

Se você quiser saber dos vínculos sorrateiros da “Veja” com o ex-presidente, que deram – na única resenha da imprensa – capa do seu livro, apresentada por um escriba de plantão;

Se você quiser saber tudo isso e muito mais sobre o governo FHC, não leia o livro de auto-ajuda (para ele levantar sua decaída auto-estima), recém publicado pelo ex-presidente, decadente e marginalizado.

Não leia, porque nada disso está ali, senão autobajulações, autojustificativas, perfeitamente adequadas a que se esqueça antes mesmo de ler. Nem veja, nem leia.


Emir Sader é professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), coordenador do Laboratório de Políticas Públicas da Uerj e autor, entre outros, de “A vingança da História".



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 08h59
[ ] [ envie esta mensagem ]


 

 

Já não se fazem manos como antigamente. 

O que são os manos? Já explico.

Mano é a palavra usada para dar nome a garotos menores de idade, residentes geralmente no subúrbio e que possuem um tendência forte para práticas ligadas a delinqüência.

Quando minhas lembranças me levam até minha época do primário é impossível não lembrar dessa categoria de pessoas. Eles geralmente eram reconhecidos a distância e alimentavam a discórdia roubando bonés importados dos “boyzinhos”. E tempo bão viu!

Eu mesmo tive dois bonés perdidos... mas nunca apanhei. Minha sorte era saber correr na hora certa.

Mas de lá pra cá muito nos manos mudou e principalmente na embalagem. Quando antes calçavam um simples havaiana hoje dá lugar aos Nikes, Adidas e Pumas. O calção de futebol deu lugar as calças bigs. As camisetas cavadas foram substituídas por camisas de futebol americano e até mesmo de hóquei. Na cabeça o boné ficou mais invocado, e até mesmo mais artesanal com o boné de tricô e os escritos “Vida Loka”. Porém os mais chiques usam o boné a la Tevez e Chorão.

Nem a musica é apreciada da mesma forma... o Rap engajado dos Racionais MC’s foram suprimidos em favor do Rap sem noção dos americanos onde ninguém entende nada com nada. Ou do sem conteúdo Funk carioca.

É, os nossos manos estão cada vez mais parecidos com os manos americanos.

Essa globalização viu, descaracterizou até aquilo que não era bom, mas que era tipicamente brasileiro.  sacou mano?

“Mano não. É brother tá ligado!”

Já devia ter adivinhado.



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 13h29
[ ] [ envie esta mensagem ]


Chega época do Natal e é impossível que minha namorada não me pergunte o que gostaria de ganhar dela... ops dela não... do Papai Noel, é claro. E também é quase impossível que eu já diga o que eu desejo até porque eu nunca sei... O que eu posso fazer é uma lista do que eu NÃO gostaria de ganhar, acho que ajuda né? Então aí vai:

1-     CD com os maiores clássicos natalinos tocadas pelos maiores mestres harpistas.

2-     Uma camisa do São Paulo (Eca, do Liverpool seria massa! He he he)

3-     Cuecas. (tenho trauma)

4-     Panetone (odeio passas e frutas cristalizadas. Chocotone já é outra história).

5-     DVD do Calypso. (Tem coisa mais irritante que a voz dessa mulher?).

6-     Um convite vip para assistir Capitão Mamão. (os caras são uns malas).

7-     Um esqueiro Zippo (não é que não goste, mas sou ninja em perde-los).

Que me lembre é isso. Pois é, comentem aí o que vocês NÃO gostariam de ganhar.

 

Ah to me sentindo. Coloquei um comentário no blog do Torero e ele o destacou em um dos seus posts. Pra quem não sabe, O Blog do Torero é um dos sites mais acessados que trata de Futebol. Entrem lá e confiram http://blogdotorero.blog.uol.com.br/arch2005-12-04_2005-12-10.html na parte de Leitores Escritores.

 

Parabéns pra gente Mi, mais um mês de namoro.

Ah tava esquecendo:

Corinthians Tetra Campeão Brasileiro!



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 13h46
[ ] [ envie esta mensagem ]


To até ficando com medo do que escrevo aqui. O ultimo post que questionava a postura dos PMs e hoje é vinculada a noticia do Jornal Comarca de Garça que comprova que não estou falando besteira. Confiram na integra:

 Fernão: homem denuncia ter sido agredido por policial. PM apura e diz que ferimento é mistério

   Fernão: homem denuncia ter sido agredido por policial. PM apura e diz que ferimento é mistério
    A 4ª Companhia da Polícia Militar já determinou a instauração de investigação interna, para apurar denúncia feita por um morador de Fernão. Valdir Sabino, de 40 anos, após ser flagrado urinando em via pública, alega ter sido espancado por um policial militar. Como resultado da agressão, Sabino teria perdido três dentes, além de apresentar vários hematomas no rosto. Os fatos ocorreram na rua Antônio Cabete, centro de Fernão, por volta das 18 horas de sábado. Na versão apresentada por Silvio Sabino, 30 anos, irmão da vítima, Valdir teria sido brutalmente agredido após ser flagrado urinando atrás de uma árvore. Disse ainda que o fato pode ser comprovado por outras pessoas testemunhas que estavam no local.
    No entanto, a PM tem uma versão totalmente diferente. De acordo com tenente Valdir, responsável pela apuração dos fatos, os dados oficiais sobre a ocorrência dão conta que o policial passava pelo local quando avistou Valdir Sabino urinando na rua, e durante a abordagem, procurou adverti-lo e orientá-lo de sua atitude inconveniente, especialmente se tratando de área de grande movimento. Consta que após orientar o rapaz, o policial saiu do local, deixando Sabino, que aparentava estar alcoolizado, sentado na calçada. Segundo o tenente, não teria havia excessos por parte do policial, mesmo porque, Sabino sequer reagiu a abordagem. Para o oficial, o fato do rapaz ter surgido ferido posteriormente é um mistério que a própria polícia tem interesse em esclarecer.
    “Todas as testemunhas que ouvi até o momento dizem que não houve agressão durante a ocorrência”, explicou o tenente, que não acredita que o policial tenha se excedido. Mesmo porquê, o PM acusado do fato é exemplo de boa conduta, inclusive é muito querido na cidade, especialmente pelas crianças, por ser instrutor do Proerd (Programa de Resistência às Drogas e a Violência). O comandante da 4ª Companhia, capitão Marcelo Martins, informou que todos os fatos serão apurados, e se houve abuso, o policial será responsabilizado.



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 08h45
[ ] [ envie esta mensagem ]


Essa semana foi a formatura de mais uma turma no Proerd. Mas o que é isso?

“O Proerd é voltado para a formação de alunos das quartas séries que participam do programa recebendo uma aula por semana, contando com o esforço cooperativo da Polícia Militar, Secretária Municipal de Educação e de uma grande parceria com os Conseb’s, (Conselhos de Segurança Comunitários) Araceli, Lago e Mariana. O programa, objetiva desenvolver um sistema de prevenção contra a violência e o uso indevido de drogas aos alunos, com ênfase na infância e na juventude; prevenir a criminalidade e melhorar a imagem da polícia perante a população.”

A informação é sem duvida o melhor caminho para que as pessoas tenham uma postura não alienada com relação a diversas questões: drogas, AIDS, política e etc...

A única coisa que acho cômico e que é citado no trecho entre parênteses é a tentativa da Policia melhorar sua imagem.Pode ser um caminho, os primeiros passos para uma Policia mais eficiente MAS... são tantas coisas que precisam ser mudadas.

Tenho a impressão sempre quando vejo a Policia,e acredito que ela não seja somente minha, é que a postura utilizada por ela é totalmente equivocada pois carrega uma áurea de arrogância e totalitarismo. Qual é o problema em se abordar as pessoas com educação e respeito se mostrando um parceiro para com o cidadão?

Porque uma coisa é o policial dar uma de professor amoroso nesses cursos e outra é chegar na periferia e descer o cacete nos “manos” como fazem todos os dias em nossa cidade de maneira costumeira.

Se for pra melhorar a imagem desse jeito ficaria mais fácil contratar um marqueteiro. Talvez seja até mais eficiente. Assim como os políticos fazem.



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 08h43
[ ] [ envie esta mensagem ]


Acabou a CPI do Mensalão.

"Ao contrário da expectativa dos petistas, o relator da CPI concluiu que houve distribuição de recursos ilegais a parlamentares com periodicidade. "Houve recebimento de vantagens indevidas por parlamentares e dirigentes partidários com periodicidade variável, mas constante em 2002 e em 2003. Chame-se a isso mensalão quem quiser; chame-se a isso quinzenão quem quiser; chame-se a isso semanão quem quiser".
Apesar de afirmar que houve repasse de verbas, o deputado afirmou que não se confirma a denúncia feita pelo deputado Roberto Jefferson de que haveria pagamentos necessariamente mensais."

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u73985.shtml

O que acontecerá agora? Alguém será punido? Acabou em pizza?



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 09h27
[ ] [ envie esta mensagem ]


Chega o final do ano e a maioria das pessoas não podem mais faltar nas aulas na faculdade. Bom, esse é pelo menos o meu caso. Já faltei tanto no primeiro bimestre que agora tenho que chegar antes e ir embora depois para compensar.

Pra falar a verdade sou totalmente contra contarem as faltas. Me pergunto sempre: Por que existe um limite de faltas? E sempre que acho uma resposta é sempre a mesma.

O limite de faltas serve para que a faculdade ganhe mais dinheiro... é isso aí, não existe outra explicação.

Certa vez, “um amigo meu”, chegou na sala no dia em que o professor passava as notas finais. Dentro dela várias pessoas cabisbaixas por não conseguiram atingir a nota e ficaram de dependência, enquanto outras conseguiram a nota mínima e foram para exame. Esse “meu amigo”, um rapaz inteligente superou a média MAS... quando o professor contou as faltas... PIMBA! Havia ultrapassado o limite e ele foi obrigado a fazer a matéria novamente. Mas porque repetir algo que, segundo o critério de avaliação da faculdade, mostrou através das notas o conhecimento adquirido por esse individuo? A resposta é simples porque ele vai ter que pagar novamente a matéria, ou seja, por causa exclusiva do dinheiro. E olha que essa era uma universidade católica hein... comandada por freiras, desapegadas, com votos de pobreza...  

E esse método de contagem é muito cruel com todos os alunos, inclusive com aqueles que não faltam mesmo que estejam morrendo.Isso porque na maioria das vezes obriga aqueles que não estão interessados a permanecerem na aula prejudicando os demais com conversas e todo tipo de comportamento dispensável ao aprendizado.

Pena que nunca vão parar de fazer chamadas. Essa é a verdade. Mesmo sabendo que não seja justo nem favorável porque esse simples gesto é um comércio... um negócio que gera muito lucro. Esses capitalistas filhos da %$*#.

-“Vicente”?

- Presente.



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 08h55
[ ] [ envie esta mensagem ]


Somos campeões do mundo! Ah. sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amorrr.. or!É isso aí gente, vivemos no pais em que mais pessoas morrem no Mundo por uso de armas de fogo. E me parece que as pessoas estão (desculpem o termo!) cagando e andando pra isso. Mais de 60% dos eleitores são a favor do comércio de armas. Essa é a conclusão do referendo.

Meus últimos comentários sobre esse assunto:

-Os fabricantes de armas agradecem, a sua morte é o nosso lucro.

Aliás, já vou atrás do papéis para comprar o meu próprio revolver. Não vejo a hora de me sentir poderoso, seguro e imortal ao empunhar minha pistola e ser o mais rápido do velho oeste-paulista. Mais uma vez a razão perdeu para a estupidez.



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 09h05
[ ] [ envie esta mensagem ]


Comentário do Arnaldo Jabor no Jornal da Globo de 20 de outubro.

Confesso que quando vi o Maluf e o Malufinho entrando em cana, eu tive um choque, parecia um sacrilégio. Como um branco, rico, ex-governador ia preso? Cheguei a pensar: coitado do Maluf.

É impressionante. Durante esses 40 dias de cana, o crime parecia o fato de ele estar preso. Ele chegou a dizer: “Não estou gostando, não tenho a menor liberdade aqui dentro”.

Agora, alívio. Maluf surgirá fazendo o “v” da vitória, dizendo que não há provas contra ele, coberto de cheques assinados, extratos bancários, tudo. Veremos recursos, protelações dos advogados. Até que os Maluf têm direito ao habeas corpus, tudo bem, e a prisão preventiva era uma espécie de satisfação que o judiciário dava ao horror abestalhado da opinião pública, mas, se tivéssemos um judiciário real, Maluf já teria sido julgado há muito tempo. A prisão foi um quebra-galho, um defloramento, para que o judiciário pudesse dizer "encanamos o homem."

Agora, haverá um longo julgamento e mesmo que seja condenado, ele tem o atenuante da idade, mais de 70 anos e pronto. Livre. Talvez o malufinho pudesse ir em cana, mas o pai vai assumir as responsabilidades, ele será réu menor.

Parabéns, Maluf. Vamos comemorar, quibes em profusão, esfirras. “Fiquem aí em cana, pretos e pobres, com a pena vencida. Danem-sei!. Valeram a pena os 800 milhões, valeu a pena Água Espraiada, valeu a pena viadutos e estradas. Valeu a pena, valeu a pena, minhocão.

 

 



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 09h27
[ ] [ envie esta mensagem ]


O Fantástico tem mostrado aos domingos um quadro do programa chamado “Retrato de uma guerra suja”, utilizando as imagens captadas pela policia de dentro do “caveirão”, um veiculo blindado que é usado para entrar nas favelas cariocas.

Esse quadro é uma espécie de reality show da luta contra o tráfico de droga no Rio. Mostra-se troca de tiros, invasões e até explosões de granada. Ao final há sempre uma espécie de exposição de dados relativos a violência, seja em números de mortos ou o quanto se gasta nessa guerra. E como não poderia faltar, um engravatado falando do trabalho desenvolvido pela policia, da importância e dos investimentos e blá, blá, blá.

Mas são tantas outras coisas que não se mostram e nem se tocam no assunto. Acredito que existem coisas que devem ser questionadas. Acompanhem minha linha de raciocínio: que mal a droga faz nas pessoas que compram dos traficantes? A droga debilita o físico dos usuários, causa dependência e por aí vai. Mas nada se compara ao mal que a ilegalidade da droga causa para a sociedade. Não vemos por aí um troca de tiros de alguém que vai ao bar comprar um garrafa de cachaça. Conhecemos os males que o álcool provoca mas não vemos males na sociedade em geral. A questão está calçada na questão do ilegal.

Porque a sociedade deve pagar por uma decisão individual de quem opta pelo uso de determinada substância? Sinceramente, não consigo achar resposta.

A verdade é que a mídia, os políticos, as religiões tendem a achar as respostas mais convenientes as suas crenças. Acho tão engraçado as noticias vinculadas sobre o Fernando Beira-Mar. Ele ganha adjetivos como: O maior traficante do Brasil, o mais perigoso, o mais poderoso. Estão querendo nos enganar. Pense bem: se você fosse o maior traficante do Brasil, que vantagem teria se tivesse que continuar a viver na favela? É claro que ele é só uma marionete na mão de alguém mais poderoso que nem sequer pega em uma arma.

Como sabiamente rimou o rapper B-Negão na musica “Contexto”da banda Planet Hemp: “fazendo aquela média clássica entre a lei de murphy e a teoria do caos, eu B-Negão seguro a vida normal de cidadão de terceiro mundo, permanentemente topando com a encruzilhada. Se correr o guarda pede, se ficar o banco toma. Brasileiros pós-ditadura ainda se encontram em estado de coma semi profundo e um dos sintomas mais visíveis é a falta de percepção: acariciam um lobo achando que é o seu animal de estimação. Não conseguem diferenciar banqueiros de bancários, mega traficantes de mero funcionários e assim permanecem estagnados, quando não regredindo enquanto o comando delta tem cada vez mais motivos pra permanecer sorrindo.”

Percebem?



Escrito por Vicente Aranha Conessa às 09h38
[ ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Sudeste, GARCA, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, English, Música, Viagens
MSN - bandamst@hotmail.com



Histórico
06/01/2008 a 12/01/2008
18/11/2007 a 24/11/2007
26/03/2006 a 01/04/2006
01/01/2006 a 07/01/2006
04/12/2005 a 10/12/2005
27/11/2005 a 03/12/2005
13/11/2005 a 19/11/2005
06/11/2005 a 12/11/2005
23/10/2005 a 29/10/2005
16/10/2005 a 22/10/2005
09/10/2005 a 15/10/2005




Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis